Manejo da dor periparto em mulheres com dependência de opioides

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A dependência de opioides durante a gravidez é um problema de saúde pública em diversos países do mundo. Entretanto, sua análise estatística é prejudicada já que o uso de drogas permanece subnotificado. Em um largo estudo americano utilizando-se da análise de mecônio para cocaína e opioide, em mais de 8.000 recém-nascidos, 2,3% testaram positivo.

A terapia padrão para mulheres dependentes de opioides durante a gravidez consiste em tratamento farmacológico com opioides sintéticos (metadona é o principal) e suporte psicossocial para estabilizar a paciente e evitar recaída no abuso de substâncias ilícitas. A implementação da buprenorfina para o tratamento da dependência de opioides ampliou as possibilidades terapêuticas, pois este agente terapêutico demonstrou exercer eficácia e segurança comparáveis à metadona.

Foi realizado um ensaio clínico controlado, randomizado e duplo-cego com o objetivo de investigar diferenças no tratamento da dor aguda de mulheres grávidas dependentes e não dependentes de opioides durante o parto e no pós-parto imediato. De acordo com estudos prévios, suspeitava-se de que mulheres grávidas dependentes de opioides necessitariam de doses maiores de analgésicos no período periparto em comparação com mulheres não dependentes de opioides.

Leia também: O desenvolvimento neurológico de prematuros extremos é afetado pelo uso de opioides e benzodiazepínicos

Manejo da dor periparto em mulheres com dependência de opioides

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Metodologia

As 37 mulheres dependentes de opioides que participaram do estudo Maternal Opioid Treatment: Human Experimental Research (MOTHER), um estudo multicêntrico, duplo-cego, randomizado e controlado que comparou a eficácia e segurança da metadona e da buprenorfina durante a gravidez, foram comparadas a um grupo controle de 80 mulheres não dependentes de opioides no que diz respeito ao controle da dor aguda no período periparto. Cada mulher do grupo intervenção foi pareada com 2 mulheres do grupo controle para: idade; tipo de parto (vaginal x cesárea); tipo de gravidez (feto único x múltiplos fetos); presença de distúrbios psiquiátricos, dentre outros.

O manejo anestésico e de analgesia periparto seguiu o protocolo da Medical University of Vienna.

Resultados

Os dados demográficos entre os grupos não mostraram diferenças significativas, exceto por uma prevalência significativamente maior de fumantes no grupo de pacientes usuárias de opioides.

Outra análise, entre os 2 braços do grupo intervenção (buprenorfina x metadona), não mostrou diferenças significativas em relação ao manejo da dor.

Dentre as pacientes submetidas ao parto vaginal, aquelas dependentes de opioides necessitaram de mais analgesia de parto do que as pacientes não dependentes. Não houve diferenças significativas em relação ao manejo da dor no período pós-parto.

Dentre as pacientes submetidas ao parto cesariano, as mulheres do grupo controle (não dependentes) receberam mais opioides para o controle da dor pós-operatória do que o grupo intervenção (dependentes).

Discussão e conclusão

O presente estudo revelou diferenças significativas no manejo da dor entre os 2 grupos, refletidas por maior frequência de analgesia de parto para mulheres dependentes de opioides durante parto vaginal e maior utilização de analgésicos opioides para mulheres não dependentes durante período pós-parto cesáreo. Levando-se em consideração estudos prévios que mostraram maior consumo de analgésicos em mulheres dependentes de opioides, surge a questão de porque, neste estudo, a quantidade de opioides liberados ​​às mulheres dependentes de opioides estava muito abaixo da quantidade do grupo controle. Um motivo seria o medo de induzir uma recaída ao abuso de substâncias ilícitas naquelas mulheres dependentes, ou o medo de os pacientes relatarem dor como forma de manipular os médicos, tornando-se um comportamento de “busca por drogas”. 

Outra questão interessante e já bem documentada é a conexão entre o consumo de nicotina e dor. A nicotina atenua a percepção de dor, porém o mecanismo envolvido ainda não é conhecido. Fumantes hospitalizados, privados de nicotina, mostram um aumento na percepção de dor. A maior prevalência de fumantes no grupo de mulheres dependentes de opioides pode ter influenciado os resultados.

Saiba mais: Quando descontinuar opioides e como manejar a abstinência?

Em resumo, os resultados sugerem que existem diferenças nas abordagens para o tratamento da dor de mulheres com dependência de opioides. Os médicos devem estar cientes de que essa população-alvo específica pode exigir doses maiores de analgésicos do que a média e o subtratamento deve ser evitado. Além disso, a relevância do consumo de nicotina no contexto do tratamento da dor deve ser levada em consideração em estudos futuros.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Höflich AS, Langer M, Jagsch R, Bäwert A, Winklbaur B, Fischer G, Unger A. Peripartum pain management in opioid dependent women. Eur J Pain. 2012 Apr;16(4):574-84. doi: 10.1016/j.ejpain.2011.08.008.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar