Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / Mortalidade relacionada a dosagens errôneas de anticoagulantes diretos
Anticoagulantes diretos em doses erradas podem gerar aumento na mortalidade

Mortalidade relacionada a dosagens errôneas de anticoagulantes diretos

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Os anticoagulantes diretos (DOACs) se provaram seguros, não inferiores e cômodos em diversos cenários com necessidade de anticoagulação em relação aos antagonistas da vitamina K. Seu uso vem se intensificando mundialmente, e a insegurança em relação a sangramentos, principalmente em pessoas de baixo peso ou idosos tem criando uma série de prescrições com doses incorretas que podem levar dano ao paciente.

Leia também: Deve-se usar anticoagulantes orais diretos no tratamento da síndrome antifosfolípide?

Método

O estudo GARFIELD-AF avaliou o uso de DOACs com o intuito de analisar padrões de dosagens prescritas e recomendadas pelo mundo e o impacto em um seguimento de 2 anos. Foram envolvidos mais de 34 mil indivíduos adultos, com fibrilação atrial não valvar e pelo menos 1 fator de risco para AVC. O estudo tinha um modelo prospectivo de registro e foi conduzido em 35 países. No estudo mais de 10 mil pessoas usaram DOACs.

Para a avaliação foram levadas em conta dosagens recomendadas pelas associações europeia, americana e japonesa, em relação aos 4 DOACs disponíveis mundialmente no mercado, levando em consideração fatores que poderiam alterar a dosagem inicial recomendada como doença renal, idade, peso.

Saiba mais: Anticoagulantes orais diretos podem ser usados em pacientes com SAF?

A maioria dos pacientes recebeu a dose recomendada dos anticoagulantes, entretanto uma porcentagem substancial recebeu subdoses (23,2%), enquanto uma minoria estava recebendo superdosagem (3,8%). Em comparação aos pacientes recebendo as doses corretas dos medicamentos, os pacientes com subdose e superdose apresentaram maior mortalidade geral (risco relativo 1,25 (95% IC 1,04 a1,5) e 1,19 (95% IC 0,83 a 1,71) respectivamente). A diferença na incidência de AVC e sangramento não apresentou significância estatística, em que pese o grupo que ingeriu subdose teve menos sangramento.

Conclusão

O estudo foi capaz de mostrar que há um número importante de pessoas utilizando doses não recomendadas de anticoagulantes para prevenção de AVC na FA. Esse fato impactou na mortalidade geral, porém não impactou na incidência de AVC e sangramento. Acredita-se que o receio de sangramento possa ser um motivo para prescrição de subdoses.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Camm AJ, et al, for the GARFIELD-AF Investigators. Mortality in Patients With Atrial Fibrillation Receiving Nonrecommended Doses of Direct Oral Anticoagulants. Journal of the American College of Cardiology. 2020; 75(12). doi: 10.1016/j.jacc.2020.07.045

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.