O que devo lembrar sobre amaurose fugaz? - PEBMED

O que devo lembrar sobre amaurose fugaz?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

O termo amaurose fugaz é utilizado para descrever uma perda visual transitória. Em adultos, em grande parte dos casos, a amaurose é resultado de uma oclusão ou estenose na circulação da artéria carótida interna. Tromboembolismo originário da circulação carotídea, assim como a hipoperfusão causada por estenose, são os mecanismos possíveis.

Leia também: Blog do Whitebook: novos conteúdos no Atlas de Oftalmologia e de Radiologia

O que devo lembrar sobre amaurose fugaz?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Quais são os fatores de risco?

A amaurose fugaz ocorre principalmente em pacientes acima dos 50 anos que têm fatores de risco vasculares incluindo hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia, tabagismo, episódios prévios de ataque isquêmico transitório, doença cardíaca e claudicação, uso de cocaína. O risco de infarto hemisférico em pacientes com amaurose fugaz é estimado em 2% ao ano e 3% ao ano para os que se apresentam com embolia retiniana.

Por que ocorre?

Em relação a fisiopatologia, a amaurose pode ocorrer não só associada ao tromboembolismo, mas por hipoperfusão, vasoespasmo, viscosidade aumentada (como na leucemia e no mieloma multiplo) e na doença cerebrovascular ateroesclerótica.

A perda de visão é geralmente unilateral, indolor e transitória. Na maior parte dos casos demora de poucos segundos a minutos. A perda pode envolver todo o campo visual ou ser parcial. O paciente pode ter um ou múltiplos episódios. Em qualquer pessoa acima dos 60 anos apresentando mais de um episódio, deve ser suspeitada a arterite de células gigantes.

O que encontramos no exame?

Durante o exame oftalmológico pode ser vista a placa de colesterol dentro do vaso retiniano, conhecida como placa de hollenhorst. Dependendo da extensão da isquemia retiniana resultante, pode se desenvolver a oclusão da artéria central da retina ou de um ramo. Em alguns pacientes, particularmente os com síndrome ocular isquêmica, a exposição a luzes brilhantes pode provocar os episódios.

Esses pacientes podem ter queda da acuidade visual com a progressão da doença. O olho afetado pode ter injeção episcleral e mínima reação de câmara anterior. Pressão intraocular pode ser normal ou baixa devido a perfusão diminuída no corpo ciliar (que é responsável pela produção do aquoso). A fundoscopia demonstra vasos retinianos tortuosos e dilatados com estreitamento arteriolar e hemorragias em pontos e manchas na média periferia.

Com a hipoperfusão persistente, a isquemia progride e podemos ter neovascularização de íris, ângulo, retina e disco óptico.

Saiba mais: Covid-19: 7 meses falando de coronavírus e o que temos em relação à oftalmologia? 

Quais são os diagnósticos diferenciais da perda visual unilateral?

  • Oclusão de veia/artéria central da retina;
  • Arterite de células gigantes;
  • Epilepsia;
  • Anemia falciforme;
  • Esclerose múltipla;
  • Papiledema

Se a amaurose fugaz não for diagnosticada e tratada o paciente tem um risco aumentado de infarto no futuro. Muitos pacientes não tratados com placas significativas irão desenvolver um evento maior em até 12 meses. Os pacientes submetidos a endarterectomia carotídea têm um bom prognóstico, porém o risco de eventos cardíacos adversos ainda existe.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar