Pílulas anticoncepcionais não hormonais masculina será uma realidade? - PEBMED

Pílulas anticoncepcionais não hormonais masculina será uma realidade?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

A busca por métodos anticoncepcionais reversíveis masculinos acontece já há mais de cinco décadas e por enquanto a espermatogênese é complexa e ainda não completamente compreendida por nós. A camisinha apesar de ser o único método que auxilia na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, apresenta alta taxa de falha em prevenir gestação, chegando a 18% com o seu uso típico (com uso perfeito a falha seria de 2%), enquanto vários métodos contraceptivos femininos reversíveis possuem um Índice de Pearl (taxa de gestação em 1 ano em 100 mulheres utilizando o método avaliado) bem mais satisfatório, como por exemplo o implante subdérmico de etonorgestrel, com 0,05% de falha, superando inclusive a laqueadura.

Leia também: Anticoncepcionais orais e risco de cânceres ginecológicos

Para ser considerado adequado, um método anticoncepcional deve associar alta eficácia, poucos efeitos colaterais, facilidade posológica e custo acessível. Um bloqueio completo da produção de esperma ocasionaria redução testicular e a depleção das células germinativas poderia alterar o testículo e também o eixo hipotálamo-hipófise-gonadal com muitos efeitos adversos. O método ideal deve apenas causar disfunção e deformação dos espermatozoides temporariamente.

Estudo publicado em 23 de fevereiro na Nature avaliou a triptonida, composto purificado extraído da erva chinesa T. wilfordii Hook F, a qual já foi utilizada por mais de 200 anos na medicina chinesa para tratar doenças inflamatórias e autoimunes e que apresentava infertilidade por alteração na contagem e na motilidade dos espermatozoides como efeito colateral. A triptonida parece interferir na interação entre a placoglobina e a proteína Spem1 associada ao amadurecimento do espermatozoide. A substância foi administrada a ratos e macacos machos em diferentes doses e períodos a fim de testar a efetividade e perfil de segurança desta medicação não hormonal.

Resultados

Uma dose oral diária de triptonida levou a deformação dos espermatozoides com grande redução da sua motilidade e infertilidade em ratos após 3-4 semanas de uso e nos macacos após 5-6 semanas. Este efeito foi reversível em ambas espécies após 4-6 semanas da interrupção da medicação com retorno dos parâmetros seminais. Os filhotes gerados após recuperação da fertilidade são indistinguíveis dos filhotes provenientes de machos do grupo controle e o tamanho e intervalo de ninhada também foram concordantes.

Saiba mais: Anticoncepcionais e migrânea: após 60 anos, os riscos ainda são os mesmos?

A triptonida não levou a alteração de peso e nem significativas alterações nos níveis de FSH, LH ou testosterona (sérico e intratesticular). Não houve alteração de comportamento dos animais e estes continuavam se acasalando com fêmeas sem dificuldades durante o uso do composto em estudo. Não foram detectados efeitos tóxicos sistêmicos com as doses utilizadas.

Mensagem prática

A triptonida é grande candidata para desenvolvimento de uma primeira pílula anticoncepcional não hormonal masculina, porém até o momento seu uso com esta finalidade foi testado apenas em outros mamíferos. Mais estudos e ensaios clínicos são necessários para avaliar adequadamente a eficácia e segurança deste composto em humanos.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Chang Z, Qin W, Zheng H. et al. Triptonide is a reversible non-hormonal male contraceptive agent in mice and non-human primates. Nat Commun. 2021;12(1253). doi: 1038/s41467-021-21517-5

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar