Leia mais:
Leia mais:
Top 10 de outubro: Proteína C reativa, guidelines para sepse e muito mais! [infográfico]
CBMI 2021: o manejo da sepse por Covid-19 é diferente?
CBMI 2021: sepse na Covid-19 – quais particularidades e cuidados?
Check-up Semanal: updates sobre câncer de ovário, manejo da asma grave e mais! [podcast]
Revisão sistemática e meta-análise avaliam os critérios para sepse em pediatria

Revisão sistemática e meta-análise avaliam os critérios para sepse em pediatria

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

As infecções são responsáveis por 26,5% da carga global de doenças e 25% dos óbitos em crianças em todo o mundo. No entanto, as manifestações clínicas dessas infecções variam de sintomas mínimos a falência de múltiplos órgãos e morte. As definições atualmente aceitas de sepse, sepse grave e choque séptico foram desenvolvidas e refinadas usando diferentes critérios para ajudar a identificar, tratar e estudar pacientes com infecções que apresentam maior risco de morbidade e mortalidade significativas. Todavia, variáveis específicas que identificam pacientes pediátricos com sepse e seus desfechos nunca foram rigorosamente avaliados em uma revisão sistemática.

Leia também: Estudo mostra que as prevalências de sepse e de choque séptico em crianças no Brasil são elevadas

Em 2016, o estudo Sepse-3, que consistiu em uma atualização da definição de sepse em adultos, incluiu uma revisão sistemática dos critérios relatados usados ​​para identificar pacientes com choque séptico. Esta revisão enfocou os critérios hemodinâmicos, mas foi limitada a estudos de países de renda média alta e alta, além de ter excluído estudos pediátricos. Os resultados dos ensaios de adultos não podem ser extrapolados para crianças devido às diferenças na epidemiologia, taxas de mortalidade, doenças subjacentes, desfechos específicos da doença e diferentes respostas à terapia. Dessa forma, a Society of Critical Care Medicine (SCCM) convocou um grupo de trabalho de definição de sepse pediátrica para avaliar, desenvolver e validar critérios para a identificação de sepse em crianças. Como parte desse processo, o Task-Force conduziu uma revisão sistemática com o objetivo de determinar a capacidade das variáveis ​​demográficas, clínicas, laboratoriais, de disfunção orgânica e de gravidade da doença de capturar crianças com infecções mais graves. Para tanto, os pesquisadores avaliaram a associação dessas variáveis ​​com: 1) sepse, sepse grave ou choque séptico em crianças com infecção suspeita ou confirmada e 2) com nova disfunção múltipla de órgãos ou progressiva (NPMODS) ou mortalidade em crianças com sepse grave ou choque séptico. Os resultados desse estudo foram divulgados no artigo Criteria for Pediatric Sepsis—A Systematic Review and Meta-Analysis by the Pediatric Sepsis Definition Taskforce, publicado no jornal Critical Care Medicine

Revisão sistemática e meta-análise avaliam os critérios para sepse em pediatria

Metodologia

Foram pesquisadas as bases de dados MEDLINE, Embase e o Cochrane Central Register of Controlled Trials, de 1º de janeiro de 2004 a 16 de novembro de 2020. Foram selecionados estudos de caso-controle, estudos de coorte e ensaios clínicos randomizados em crianças com idade gestacional de 37 semanas ou mais a 18 anos com infecção suspeita ou confirmada, que incluíam os termos “sepse”, “septicemia” ou “choque séptico” no título ou resumo. As características do estudo, dados demográficos do paciente, sinais ou intervenções clínicas, valores laboratoriais, medidas de disfunção orgânica e escores de gravidade da doença foram extraídos de artigos elegíveis. Por fim, uma meta-análise de efeitos aleatórios foi realizada.

Resultados

Um total de 116 estudos preencheram os critérios de elegibilidade, dos quais 81 foram incluídos na meta-análise. Dezesseis estudos (9.629 pacientes) forneceram dados para o desfecho sepse, sepse grave ou choque séptico e 71 estudos (154.674 pacientes) para o desfecho de mortalidade. Em crianças com infecção, a diminuição do nível de consciência e maiores escores de risco pediátrico de mortalidade foram associados com sepse/sepse grave. Em crianças com sepse/sepse grave/choque séptico, condições crônicas, diagnóstico oncológico, uso de agentes vasoativos/inotrópicos, ventilação mecânica, lactato sérico, contagem de plaquetas, fibrinogênio, procalcitonina, síndrome de disfunção de múltiplos órgãos e a pontuação nos escores Pediatric Logistic Organ Dysfunction score (PELOD), Pediatric Index of Mortality-3 (PIM-3) e Pediatric Risk of Mortality (PRISM) demonstraram, cada um, associações significativas e consistentes com a mortalidade. As taxas de mortalidade combinadas variaram entre países de alta, média alta e média baixa para pacientes com sepse, sepse grave e choque séptico (p < 0,0001).

Saiba mais: Qual papel do qSOFA na sepse?

Conclusão

Esse estudo avaliou rigorosamente a associação de variáveis individuais com o desenvolvimento de sepse em crianças com infecções e as chances de mortalidade em crianças com sepse, sepse grave e choque séptico. Os estudos incluídos eram de regiões economicamente diversas do mundo, populações com diversas condições subjacentes e definições variadas de sepse. Apesar da heterogeneidade clínica e do número limitado de estudos para algumas variáveis, foram observadas fortes associações com os desfechos de interesse para muitas das variáveis avaliadas, refletindo predominantemente medidas de disfunção orgânica e apoiando a inclusão dessas variáveis na fase de validação de dados do Pediatric Sepsis Definition Taskforce.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Menon K, Schlapbach LJ, Akech S, et al. Criteria for Pediatric Sepsis-A Systematic Review and Meta-Analysis by the Pediatric Sepsis Definition Taskforce [published online ahead of print, 2021 Oct 6]. Crit Care Med. 2021. doi: 10.1097/CCM.0000000000005294
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.