Página Principal > Cardiologia > 10 keypoints no manejo da Trombose Venosa Profunda
coagulo no sangue com risco de trombose

10 keypoints no manejo da Trombose Venosa Profunda

European Society of Cardiology publicou 10 pontos fundamentais para se ter em mente no diagnóstico e tratamento do paciente com Trombose Venosa Profunda (TVP). Veja aqui quais são eles.

1) Os sinais clínicos e os sintomas da TVP são altamente variáveis e inespecíficos, mas continuam a ser o principal fator da estratégia de diagnóstico. Os sintomas incluem dor, inchaço, aumento da visibilidade da veia na pele, eritema e cianose acompanhada de febre inexplicada.

2) A regra de predição clínica (escore de Wells alterado em dois níveis) é recomendada para estratificar pacientes com suspeita de TVP nos membros inferiores.

3) O método ELISA é recomendado em doentes com probabilidade clínica “improvável” para excluir a TVP.

Veja também: ‘Mudanças no tratamento de TEP e TVP’

4) A ultrassonografia venosa é recomendada como exame de imagem de primeira linha para o diagnóstico da TVP. A tomografia computadorizada venosa é indicada apenas para pacientes selecionados. A ultrassonografia venosa deve ser proposta também em caso de embolia pulmonar confirmada, para imagem venosa de referência inicial, útil em caso de suspeita de recorrência de TVP, ou estratificação adicional em pacientes selecionados.

5) Em geral, pacientes com TVP proximal ou TVP distal isolada com alto risco de recidiva devem ser anticoagulados por, pelo menos, 3 meses. Para TVP distal isolada com baixo risco de recorrência, é recomendando um tratamento mais curto (4 a 6 semanas), mesmo com doses anticoagulantes mais baixas, ou vigilância com ultrassom pode ser considerada.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

6) Na ausência de contra-indicações, os novos anticoagulantes orais são a terapia anticoagulante de primeira linha indicada em pacientes sem câncer com TVP proximal. A heparina de baixo peso molecular (HBPM) é recomendada para tratamento inicial e de longo prazo em pacientes com câncer.

7) A trombólise adjuvante dirigida por cateter pode ser considerada em pacientes selecionados com TVP ilíaco-femoral, sintomas < 14 dias e expectativa de vida > 1 ano. Não se recomenda a remoção de trombose primária de TVP aguda ou a remoção mecânica de trombo. Os filtros de veia cava podem ser considerados se a anticoagulação for contra-indicada; não é recomendada a sua utilização para além da anticoagulação.

Mantenha-se atualizado: ‘Profilaxia de Trombose Venosa Profunda’

8) A terapia de compressão associada à mobilização precoce e exercício deve ser considerada para aliviar os sintomas venosos agudos.

9) A decisão de interromper ou não o anticoagulante deve ser adaptada individualmente, equilibrando o risco de recorrência contra o risco de hemorragia, tendo em conta as preferências dos doentes.

10) Durante a gravidez, a ultrassonografia venosa é recomendada. HBPM é recomendada para o tratamento inicial e de longo prazo durante a gravidez. O tratamento anticoagulante deve ser continuado durante pelo menos 6 semanas após o parto com um total de 3 meses de tratamento.

E mais: ‘Gestação não planejada x trombose na contracepção’

Referências:

  • Diagnosis and Management of Acute Deep Vein Thrombosis: A Joint Consensus Document From the European Society of Cardiology Working Groups of Aorta and Peripheral Circulation and Pulmonary Circulation and Right Ventricular Function. Eur Heart J 2017;Feb 17:[Epub ahead of print].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.