Home / Medicina de Família / Câncer de próstata e infertilidade masculina podem estar relacionados?

Câncer de próstata e infertilidade masculina podem estar relacionados?

Medicina de Família, Oncologia, Urologia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Em um novo estudo, pesquisadores suecos usaram os seus bancos de dados para investigar o que aconteceu com quase todos os homens que tiveram um filho com mais de 20 anos, de 1994 a dezembro de 2014. Eles descobriram que aqueles cujos bebês nasceram após o tratamento de fertilidade eram mais propensos a serem diagnosticados com câncer de próstata nos anos seguintes e mais propensos a terem câncer de próstata em uma idade jovem (menos de 55 anos).

Os dois tipos de tratamento de fertilidade considerados foram a fertilização in vitro e a ICSI. Os pesquisadores investigaram 1.181.490 nascimentos com pais registrados. O artigo foi publicado em setembro deste ano no British Medical Journal (BMJ), pelos pesquisadores da Universidade de Lund, na Suécia.

Relação de câncer de próstata e tratamento de fertilidade

Os pesquisadores fizeram um estudo de coorte com homens suecos que se tornaram pais pela primeira vez entre 1994 e 2014, e identificaram aqueles diagnosticados com câncer de próstata até 20 anos após esses nascimentos.

Os pesquisadores investigaram 1.181.490 nascimentos com pais registrados. Destes, a grande maioria (1.145.990) não resultou do tratamento de fertilidade: 20.618 seguiram a fertilização in vitro e 14.882 seguiram o ICSI.

  • 0,28% dos homens que não receberam tratamento de fertilidade foram diagnosticados posteriormente com câncer de próstata, com idade média de 57,1 anos;
  • 0,42% dos homens que tiveram ICSI foram posteriormente diagnosticados com câncer de próstata, com idade média de 55,1 anos;
  • 0,37% dos homens que tiveram fertilização in vitro foram diagnosticados mais tarde com câncer de próstata, com idade média de 55,9 anos.

Homens que tiveram ICSI tiveram um risco aumentado de 64% de câncer de próstata (taxa de risco [HR] 1,64, intervalo de confiança de 95% [IC] 1,25 a 2,15).

Aqueles que tiveram fertilização in vitro tiveram um risco aumentado de 33% de câncer de próstata (HR 1,33, IC 95% 1,06 a 1,66).

Homens que tinham ICSI ou fertilização in vitro também eram mais propensos a serem diagnosticados com câncer de próstata antes dos 55 anos (HR para ICSI 1,86, 95% CI 1,25 a 2,77 e HR para IVF 1,51, 95% CI 1,09 a 2,08).

O aumento dos riscos permaneceu após a retirada dos homens que tinham câncer anterior ou dos homens que estavam em terapia de reposição de testosterona.

Homens com câncer de próstata que tiveram ICSI eram mais propensos a receber terapia de privação de andrógenos, com 19,2% fazendo esse tratamento, em comparação com 11,8% dos homens que tinham fertilização in vitro e 13% dos homens que não tinham tratamento de fertilidade.

Leia também: Câncer de Próstata: vigilância ativa ou tratamento específico?

População em risco

De acordo com o estudo, a técnica de ICSI está associada a um risco quase duplicado de câncer precoce, diagnosticado antes dos 55 anos.

Os autores concluem que essa categoria de homens constitui uma população em risco que deve realizar exames para a detecção precoce de um possível câncer de próstata.

Eles sugeriram que esse grupo de homens deveria ser rastreado para o câncer de próstata precocemente, usando o teste de PSA.

Conclusões

O estudo sugere que há algo sobre o grupo de homens que recebeu tratamento de fertilização in vitro ou ICSI que aumentou o risco de câncer de próstata em idade mais precoce, em comparação com homens que não precisavam de tratamento de fertilidade.

É importante deixar claro que não há nenhum tratamento de fertilidade por sugestão que aumente o risco. É mais provável que possa haver uma causa comum para problemas de fertilidade e câncer de próstata. Mas este estudo não pode nos dizer qual é essa causa.

Este tipo de estudo não pode dizer se a anormalidade do esperma ou outros problemas na fertilidade masculina são uma causa direta do câncer de próstata.

E o estudo tem uma grande limitação: não incluiu informações sobre homens que fizeram tratamento de fertilidade, mas não se tornaram pais.

O estudo foi financiado pela Swedish Cancer Foundation, uma concessão do governo da ALF, pelo Malmö University Hospital Cancer Research Fund, pela Swedish Prostate Cancer Research Foundation e pela European Association of Urology.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

  • https://www.bmj.com/content/366/bmj.l5525
  • https://www.nhs.uk/news/cancer/male-infertility-linked-increased-prostate-cancer-risk/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.