Cardiologia: o clássico da semiologia com o contemporâneo das novas descobertas

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Para ajudar você a escolher a residência que está mais alinhada com seus objetivos, a PEBMED preparou uma série de artigos sobre cada especialidade médica. Hoje é dia de saber mais sobre a Cardiologia, com o Dr. Gabriel Lopes!

1) O que é?

A residência em Cardiologia visa preparar o médico para atuar em Cardiologia Clínica Geral, abrangendo de maneira mais superficial as subespecialidades cardiológicas e dando enfoque no paciente cardiopata crítico e pós-operatório de cirurgia cardíaca. Ela dura 2 anos e é necessário cursar mais 2 anos de residência em clínica médica para prestar concurso para cardiologista.

O profissional cardiologista é bem versátil, podendo atuar tanto a nível ambulatorial, pacientes internados em enfermaria e pacientes criticamente enfermos em unidades de terapia intensiva. A residência aborda as principais doenças cardiovasculares, valvares, arritmicas, entre outras.

A Cardiologia é a especialidade com mais estudos médicos publicados e de avanços fantásticos nos últimos tempos, nossas diretrizes estão em constante atualização, tornando o cardiologista um profissional que mistura o clássico da semiologia com o contemporâneo das novas descobertas.

2) Como é o dia a dia?

O residente atua nas enfermarias cardiológicas, tratando pacientes que descompensam de patologias crônicas, pacientes que desenvolvem novas patologias cardíacas e pacientes em pré-operatório de cirurgia cardíaca e colocação de dispositivos cardíacos.

Além disso atua, em nível ambulatorial na prevenção de doenças cardíacas, controle de pacientes crônicos, acompanhamento de pacientes em risco de morte súbita, etc. No tocante à terapia intensiva, o residentes atua em unidades coronarianas, de cuidado intensivo a pacientes que apresentam síndromes coronarianas agudas, além da unidade de pós-operatório cardíaco, que visa os cuidados intensivos em pacientes recém operados do coração.

O residente em cardiologia ainda tem a oportunidade de acompanhar os serviços de subespecialidade em Cardiologia durante a residência, são eles: ecocardiografia, arritmologia, ergometria e reabilitação cardíaca, cardiologia pediátrica, hemodinâmica, exames de imagem cardiológicos (cintilografia, ressonância magnética e tomografia de coronárias) e emergências cardiológicas.

3) Oportunidades de trabalho:

O cardiologista clínico ao terminar sua formação pode atuar em ambulatórios de cardiologia geral, ou específicos, pode atuar em unidades de terapia intensiva e cardiointensiva, pode ainda se subespecializar nas especialidades supracitadas ou trabalhar com medicina esportiva ou reabilitação cardíaca. O mercado de trabalho varia de acordo com a região, porém tendo em mente a capacidade de atuação abrangente do profissional e a incidência de doenças vasculares o cardiologista é sempre um profissional necessário.

4) Número de especialistas:

No momento, temos aproximadamente 13.500 cardiologistas registrados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

5) Curiosidade(s):

– As doenças cardiovasculares são as de maior incidência e prevalência, além de serem responsáveis pela maioria das mortes em países desenvolvidos e subdesenvolvidos, talvez por isso as vagas para essa especialidade sejam tão abundantes. O Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia em São Paulo, por exemplo, oferece cerca de 64 vagas para residentes em Cardiologia. O Instituto Nacional de Cardiologia em Laranjeiras, no Rio de Janeiro, oferece cerca de 24 vagas para a residência. A Cardiologia abre também um vasto campo para pesquisa médica. Novas medicações e dispositivos médicos são inseridos, pesquisados e testados com frequência no mundo da cardiologia, um prato cheio para quem busca conhecimento.

6) Especialidades correlacionadas:

Hemodinâmica: o simples cateterismo já não é mais a única rotina de hemodinamicistas. A tecnologia avançou muito nessa especialidade e o médico já conta com um arsenal para tratar lesões em coronárias, corrigir defeitos de septo atrial, excluir auriculeta cardíaca, reduzir a regurgitação da insuficiência mitral e até trocar a válvula aórtica por uma prótese. Tudo isso por via percutânea. Stents farmacológicos, ultrassom intracoronariano e outras tecnologias vieram para agregar mais confiabilidade aos métodos e melhorar os resultados. Essa residência dura dois anos e os principais aprendizados são a realização da cineangiocoronariografia e angioplastias coronarianas.

Ecocardiografia: aqui o cardiologista aprende um método de imagem por ultrassom, o ecocardiograma, tão útil na vida dos cardiologistas clínicos, é um exame de suma importância e também conta com novas tecnologias como: ecocardiografia 3D, speckle tracking, doppler tecidual entre outros. O ecocardiograma é capaz de evidenciar lesões estruturais cardíacas, diagnosticar e classificar lesões valvares, avaliar as funções sistólica e diastólica do ventrículo esquerdo, estimar a pressão da artéria pulmonar entre outros. A residência dura um ano (dois anos em alguns serviços) e o residente aprende a fazer o ecocardiograma transtorácico, transesofágico, ecocardiograma de estresse, Doppler de carótidas e vertebrais e em alguns serviços dopplers vasculares e ecocardiograma intraoperatório.

Arritmologia: nessa especialidade dois caminhos são possíveis, arritmologia clínica e intervencionista, na segunda o arritmoligista está apto a implantar marca-passos, cardiodesfibriladores e ressincronizadores, além de realizar estudos eletrofisiológicos para diagnóstico de arritmias e ablação por radiofrequência para tratamento. A especialidade se dedica ao estudo das braqui e taquiarritmias. A residência pode durar 1 ou 2 anos.

Ergometria: o teste ergométrico é de extrema importância para a prática clínica cardiológica, ele é sensível para detectar isquemia miocárdica, além de nos dar informações sobre arritmias que acontecem no esforço, nos tirar dúvidas sobre os reais sintomas do paciente, indicando assim cirurgia ou não. O teste cardiopulmonar ainda nos permite avaliar indicações para transplante, além de apresentar várias variáveis prognosticas de mortalidade cardiológica. O teste ergométrico é de fundamental importância na avaliação do atleta, avaliando sua capacidade funcional e outras variáveis.

7) Área de atuação:

  • Ambulatório: prevenindo e controlado doenças
  • Unidade cardiointensiva: manejando pacientes cardiológicos críticos e pós operatório de cirurgia cardíaca
  • CTI geral: com uma boa noção de manejo do paciente grave, o cardiologista se torna uma especialidade muito cobiçada em terapia intensiva
  • Emergência clínica: profissional capacitado para atua em emergências clínicas e cardiológicas

8) Mensagem para quem quer seguir essa especialidade:

O cardiologista é um profissional versátil e dinâmico, quem opta por esta especialização tem vários perfis, desde os mais intervencionistas até o mais conservadores. Ter em mente o que você pretende após se especializar (trabalhar em ambulatório, consultório, trabalhar em terapia intensiva e cardiointensiva ou mesmo trabalhar realizando apenas procedimentos) é fundamental para a escolha do local que fará a residência. Um olhar para pacientes mais idosos também é importante já que sua clientela em sua maioria encontra-se nessa faixa etária. E, por fim, tenha sempre em mente que estudar é muito importante, mas a experiência sem sombra de dúvidas conta muito na vida de um cardiologista.

*Os artigos sobre as especialidades médicas foram produzidos em parceria com a Associação Nacional de Médicos Residentes

Autor:

Referências:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Um comentário

  1. Avatar
    Katia Pontes Lara Santos

    Gostaria de saber se biomédico pode fazer residencia medica em Assistência de cardiologia, como cirurgia extra-corpórea. Vi que é uma área na residencia da FMUSP, mas não encontrei muitas coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar