Covid-19: Quais os fatores de risco para retorno ao hospital de pacientes com sintomas leves?

A principal orientação para casos leves de Covid-19 desde o início da pandemia é enviar para casa para cumprir o isolamento.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

A principal orientação para casos leves de Covid-19 desde o início da pandemia era enviar para casa para cumprir o isolamento, já que havia grande preocupação com a ocupação dos hospitais para os casos moderados a grave. Porém, alguns pacientes apresentam uma descompensação do quadro ou até agravamento alguns dias após os primeiros sintomas.

Até o momento, porém, não existem dados que indiquem o risco de pacientes leves retornarem ao hospital com complicações. Por isso, um estudo recente avaliou a incidência de retorno ao hospital em 72 horas por pacientes com Covid-19 que receberam alta na apresentação inicial, nos Estados Unidos. Também foram avaliadas as características desses indivíduos.

médico anotando informações de paciente com Covid-19

Retorno à emergência com Covid-19

O estudo de coorte retrospectivo avaliou pacientes adultos de cinco emergências diferentes na Pensilvânia e Nova Jersey. Foram utilizados dados de registros eletrônicos de 1º de março a 28 de maio de 2020 de indivíduos com confirmação laboratorial de Covid-19 em até sete dias antes ou depois da ida ao pronto-socorro.

Foram excluídos pacientes que não tinham sinais vitais registrados e aqueles com menos de 18 anos. Para pacientes com mais de uma ida ao hospital, foi considerado o primeiro registro. O desfecho primário foi a internação ou observação do paciente em até 72 horas após a ida à emergência. Além do desfecho, também foi avaliado se os indivíduos retornaram até sete dias após a alta.

Leia também: Coagulopatia na infecção por coronavírus: um fator de mau prognóstico

Foram incluídos como fatores de risco para doença grave por Covid-19, disponíveis na literatura: idade do paciente, sexo e raça/etnia, bem como a presença ou ausência de hipertensão, diabetes e obesidade (índice de massa corporal ≥ 30 kg/m2); além de achados da radiografia de tórax. Os autores também usaram informações de sinais vitais para avaliar o risco: febre (temperatura > 38 ºC), hipóxia (oximetria de pulso inferior a 95% em ar ambiente) e taquicardia (frequência de pulso> 100 batimentos por minuto).

Resultados

A coorte incluiu 1.419 pacientes: 66 deles (4,7%; IC95% 3,6 a 5,7) retornaram ao hospital em até 72 horas e precisaram de internação ou observação, definido como admissão de retorno. Outras 56 (3,9%) pessoas voltaram à emergência nesse mesmo período, mas tiveram alta novamente.

Após ajuste, os riscos foram:

  • Pacientes com idade >60 anos (AOR 4,6; IC 95% 2,2 a 9,5) tiveram significativamente mais chances de necessitarem de internação ou observação após 72 horas da primeira ida ao hospital que aqueles entre 18-39 anos (9% ,IC95% 5,5-12,5 versus 2,6%, IC95% 1,2 – 4,0);
  • Pessoas com hipóxia tiveram mais chances de admissão de retorno (AOR 2,9; IC 95% 1,2 a 7,2) do que aqueles que tinham oxigenação normal;
  • Febre (AOR 2,4; IC 95% 1,3 a 4,5) também foi um fator de risco para admissão de retorno, quando comparado com pacientes afebris;
  • Pacientes com alterações na radiografia de tórax também tiveram mais chances de necessitarem de observação ou internação (AOR 2,4; IC 95% 1,5 a 3,7) do que aqueles que tinham o exame normal ou não realizaram o mesmo.

Cento e dezessete pacientes retornaram ao hospital para internação após sete dias (8,2%; IC95% 6,8 a 9,6), com resultados com a mesma significância estatística que aqueles do desfecho primário. Uma diferença foi encontrada em relação a outros fatores, que foram mais significativos para retorno após sete dias do que para o desfecho primário: hipertensão (AOR 1,5; IC 95% 1,1 a 2,0), obesidade (AOR 1,5; IC 95% 1,1 a 2,0) e idade entre 41-59 anos (AOR 2,1; IC 95% 1,6 a 2,8).

Conclusões

Cerca de 5% dos pacientes precisaram de internação ou observação após 72 horas da primeira ida ao hospital. A taxa geral de readmissão foi o dobro da relatada pré-pandemia, e os pacientes idosos (> 60 anos) tiveram uma taxa ainda maior, assim como aqueles que se apresentaram na primeira vez com febre ou hipóxia.

O estudo ajuda a pensar na melhor abordagem para aqueles pacientes com os fatores de risco mais significativos. Mesmo que não seja necessária a internação desse paciente na primeira ida à emergência, pode ser importante um acompanhamento mais próximo, mesmo que à distância, e informá-lo da probabilidade de retorno ao hospital.

Apesar disso, vale lembrar que o estudo foi uma coorte pequena, em poucos centros. Outra limitação importante é o fato de que alguns pacientes não recebem o diagnóstico de Covid-19 na primeira ida à emergência, por isso não foram considerados, assim como aqueles podem ter tido resultados falso-negativos.

Mais estudos são necessários para ajudar a prever a gravidade dos pacientes e evitar complicações.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referência bibliográfica:

  • Kilaru AS, et al. Return Hospital Admissions Among 1419 Covid‐19 Patients Discharged from Five US Emergency Departments. Academic Emergency Medicine. 27 August 2020 https://doi.org/10.1111/acem.14117
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão