Leia mais:
Leia mais:
Conheça a próxima etapa do estudo da Unicamp e USP sobre os efeitos da covid-19 no cérebro
Covid-19: Ministério da Saúde anuncia aplicação da quarta dose em pessoas a partir dos 80 anos
ISICEM 2022: há benefício na terapia antiplaquetária em pacientes críticos com covid-19?
Covid-19: Publicação do Ministério da Saúde avalia impactos da pandemia na saúde dos brasileiros
Check-up Semanal: vacinação e síndrome pós Covid-19, vaginose bacteriana e mais! [podcast]

ISICEM 2022: há benefício na terapia antiplaquetária em pacientes críticos com covid-19?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A Dra. Charlotte Bradbury, professora e pesquisadora da Universidade de Bristol, Inglaterra, uma das mentes que compõe o grupo de investigadores REMAP-CAP, apresentou um dos trabalhos deste grupo no 41st International Symposium on Intensive Care and Emergency Medicine (ISICEM 2022), com lançamento simultâneo na revista JAMA.

O REMAP-CAP é um estudo de plataforma adaptativa internacional projetado para determinar as melhores estratégias de tratamento para pacientes com pneumonia grave em ambientes pandêmicos e não pandêmicos.

comprimidos para terapia antiplaquetária para covid-19 grave

REMAP-CAP: terapia antiplaquetária na covid-19

Trata-se de um ensaio clínico randomizado, multicêntrico, que incluiu 1.557 pacientes com o objetivo de determinar se havia benefício no uso de terapia antiplaquetária para pacientes críticos com covid-19. Os pacientes foram divididos em três grupos: que receberam aspirina (n = 565); que receberam um inibidor da P2Y12 (n = 455); ou que não receberam nenhuma terapia antiplaquetária (n= 529).

A dosagem dos antiplaquetários utilizados foi a seguinte: aspirina, 75 a 100 mg uma vez ao dia; clopidogrel, 75 mg uma vez ao dia sem dose de ataque; ticagrelor, 60 mg duas vezes ao dia sem dose de ataque; prasugrel, dose de ataque de 60 mg seguida de 10 mg por dia (se idade < 75 anos e peso ≥ 60 kg) ou 5 mg por dia (se idade ≥ 75 anos ou peso < 60 kg).

Foram utilizados inibidores de bomba de prótons (IBP) ou antagonistas do receptor H2 para supressão da acidez gástrica. Os pacientes receberam tromboprofilaxia química com anticoagulante concomitante de acordo com o tratamento padrão, se não randomizados no domínio de anticoagulação do estudo.

O desfecho primário medido foi a quantidade de dias livres de suporte respiratório ou cardiovascular na Unidade de terapia intensiva em 21 dias. A análise do desfecho foi realizada com um modelo logístico cumulativo bayesiano.

Resultados

Os grupos “aspirina” e “inibidores da P2Y12” atenderam aos critérios predefinidos de equivalência em uma análise adaptativa e foram estatisticamente agrupados para análise posterior, dando origem ao grupo “antiplaquetário”.

Entre os 1557 pacientes críticos randomizados, oito pacientes retiraram o consentimento e 1549 completaram o estudo (idade média: 57 anos; 521 [33,6%] do sexo feminino). Mediana para dias sem suporte de órgãos: 7 (IQR, -1 a 16) em ambos os grupos antiplaquetários e controle (Odds ratio [OR] mediana-ajustada, 1,02 [intervalo de confiança de 95% {IC95%}, 0,86-1,23]; 95,7% de probabilidade posterior de futilidade).

As proporções de pacientes que sobreviveram à alta hospitalar foram 71,5% (723/1011) e 67,9% (354/521) nos grupos antiplaquetário e controle, respectivamente (OR mediana-ajustada, 1,27 [IC95%, 0,99-1,62]; diferença absoluta ajustada, 5% [IC95%, -0,2% a 9,5%]; 97% de probabilidade posterior de eficácia).

Entre os sobreviventes, a mediana de dias livres de suporte de órgãos foi de 14 dias em ambos os grupos. Sangramento maior ocorreu em 2,1% e 0,4% dos pacientes nos grupos antiplaquetário e controle (OR ajustado, 2,97 [IC95%, 1,23-8,28]; aumento do risco absoluto ajustado, 0,8% [IC95%, 0,1%-2,7%]; 99,4% de probabilidade de dano).

Mensagem prática

Entre os pacientes críticos com covid-19, o tratamento com um agente antiplaquetário em comparação com nenhum tratamento antiplaquetário teve baixa probabilidade de melhorar o número de dias sem suporte de órgãos em 21 dias na unidade de terapia intensiva.

O trabalho tem algumas limitações, sendo a principal relacionada ao resultado composto (agrupar todos as intervenções em único grupo), o que potencialmente pode identificar diferentes efeitos do tratamento e, embora cada componente seja relatado separadamente, há um poder limitado para dar respostas definitivas sobre o efeito do tratamento em cada componente.

Estamos acompanhando o congresso de terapia intensiva. Fique ligado no Portal e também em nossa cobertura no Twitter.

Mais do ISICEM 2022:

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
#Bradbury CA, Lawler PR, Stanworth SJ et al. REMAP-CAP Writing Committee for the REMAP-CAP Investigators. Effect of Antiplatelet Therapy on Survival and Organ Support–Free Days in Critically Ill Patients With COVID-19. JAMA online, 2022. JAMA. doi: 10.1001/jama.2022.2910 
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.