Home / Colunistas / O que sabemos sobre a progressão da miopia em crianças durante a pandemia?

O que sabemos sobre a progressão da miopia em crianças durante a pandemia?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A miopia hoje é uma questão de saúde pública mundial, com estimativa da OMS de atingir metade da população em 2050. O menor tempo de atividades externas (que diminuiu ainda mais com a pandemia de Covid-19) tem sido reconhecido como um dos fatores de risco para o desenvolvimento de miopia. A duração e intensidade das atividades de perto também estão associadas.

Em resposta ao novo coronavírus que se espalhou a partir de dezembro de 2019, foi instituído o isolamento social e muitas escolas na china foram fechadas para evitar a transmissão. Mais de 220 milhões de crianças e adolescentes ficaram confinados em suas casas, estudando online. Questionou-se se o tempo diminuído em atividades externas e o aumento de tempo de tela teria gerado um aumento nos casos de miopia durante a pandemia.

Leia também: Crianças e tecnologia em tempos de Covid-19: risco para boom de miopia?

Em estudo publicado na JAMA Ophthalmology em janeiro de 2021 foi investigada essa associação do confinamento durante a pandemia com o desenvolvimento de miopia em crianças na China. As escolas foram fechadas de janeiro a maio e reabertas em junho. Esse estudo já era realizado desde 2015, por 6 anos consecutivos.

Progressão da miopia em crianças durante a pandemia

Metodologia

Foram testadas 123.535 crianças. A miopia nessa população era relativamente estável, com um pequeno shift miópico de 2015 a 2019. Em 2020 o shift miópico foi substancial (aproximadamente -0,3 D) para crianças de 6 a 8 anos. A prevalência de miopia por idade em 2020 era de 21.5% aos 6 anos, 26,2% aos 7 anos e 37,2% aos 8 anos. Esses níveis eram significativamente maiores que os encontrados de 2015-2019: 5.7% aos 6 anos, 16.2% aos 7 anos e 27.7% aos 8 anos. Nesse estudo a prevalência de miopia foi aproximadamente 3 vezes maior em 2020 do que em outros anos.

Saiba mais: Miopia: veja alguns fatos sobre a doença

Esse aumento não foi visto nos grupos mais velhos (de 9 a 13 anos) apesar do maior número de horas que os mais velhos ficavam em aulas online comparado com os mais novos. Isso fortalece a hipótese de que as crianças mais novas seriam mais sensíveis as alterações ambientais, estando em um momento de mais alta plasticidade. Outro achado que corrobora com os já encontrados em outros estudos é o de que meninas desenvolvem miopia mais precocemente que meninos.

Conclusão

Os achados desse estudo sugerem que o confinamento durante a pandemia por Covid-19 foram associados a um shift miópico substancial em crianças jovens (6 a 8 anos). Esse achado é importante para que possamos orientar as famílias em relação a um menor uso das atividades de perto quando possível associado ao aumento do tempo das atividades fora de casa permitidas durante a pandemia para evitar a progressão da miopia.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Wang J, Li Y, Musch DC, et al. Progression of Myopia in School-Aged Children After Covid-19 Home Confinement. JAMA Ophthalmol. Published online January 14, 2021. doi: 1001/jamaophthalmol.2020.6239

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.