Leia mais:
Leia mais:
Estudo PREVENTT: correção de anemia com ferro venoso no perioperatório não altera mortalidade
ACC 2022: controle da pressão arterial no intraoperatório
Práticas que melhoram desfecho neurológico perioperatório
Melhores práticas perioperatórias em pacientes obesos
Manejo perioperatório nas lesões de medula espinhal

Práticas que melhoram desfecho neurológico perioperatório

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Apesar do avanço no desenvolvimento de novas drogas e técnicas anestésicas e na monitorização, vemos ainda um número significativo de complicações neurocognitivas relacionadas à anestesia/cirurgia. Nosso objetivo é rever as 5 complicações neurológicas mais comuns no perioperatório, falar sobre os fatores de risco associados e das estratégias disponíveis atualmente para prevenção destas complicações.

Leia também: Manejo perioperatório nas lesões de medula espinhal

Práticas que melhoram desfecho neurológico perioperatório

Delirium pós-operatório

O delirium pós-operatório (DPO) é caracterizado por confusão mental e alteração do estado de consciência, de início agudo e curso flutuante. Está associado ao aumento do tempo de internação hospitalar, aumento do tempo em ventilação mecânica e aumento do custo de internação. Mesmo após a alta, pacientes que desenvolvem DPO têm maior risco de institucionalização e morte.

Dentre as principais estratégias de prevenção estão: evitar o uso exagerado de medicações que sabidamente alteram o estado de consciência, como benzodiazepínicos, antipsicóticos, relaxantes musculares, etc; manter profundidade anestésica moderada; evitar hipotermia e oscilações bruscas da pressão arterial sistêmica, principalmente a hipotensão.

Isquemia de medula espinhal

A isquemia medular é a complicação mais temida associada com cirurgias de reparação de aneurismas e dissecções de aorta toracoabdominal. Sabemos que o fluxo sanguíneo medular se dá através de 1 artéria espinhal anterior e 2 artérias espinhais posteriores, porém sua perfusão é complexa e apresenta diversas variações anatômicas.

A síndrome de isquemia da medula espinhal (SIME) de início imediato geralmente é causada por interrupção do fluxo sanguíneo durante a cirurgia, seja por obstrução por stent no reparo endovascular ou durante o clampeamento da aorta nas cirurgias abertas. Já a SIME de início insidioso tem como principais causas a trombose e a redução da pressão de perfusão medular. O principal fator de risco é a localização e o tamanho do aneurisma. Outros fatores de risco incluem cirurgia de emergência, ruptura ou dissecção do aneurisma, tempo de clampeamento aórtico, envolvimento da artéria subclávia esquerda e cirurgia aórtica prévia, idade superior a 70 anos, insuficiência renal, doença pulmonar obstrutiva crônica e hipotensão perioperatória.

Saiba mais: Manejo perioperatório de pacientes com história de AVC ou AIT em cirurgia não cardíaca

A drenagem liquórica é uma importante estratégia de prevenção na cirurgia aberta. Porém, na reparação endovascular, o risco-benefício ainda é incerto, pois a inserção do cateter de drenagem pode levar a infecção, meningite, hematoma espinhal e lesão de raiz nervosa. Outras estratégias de prevenção incluem evitar a hipotermia e manter uma pressão de perfusão medular > 70 mmHg. 

Acidente vascular encefálico

O acidente vascular encefálico (AVE) perioperatório aumenta o risco de mortalidade em 8 vezes. Seus principais fatores de risco são: doença cerebrovascular prévia, idade avançada, cardiopatia, fibrilação atrial, insuficiência renal, hipertensão, tabagismo, sexo feminino, anemia, interrupção do uso de antiplaquetários/anticoagulantes e início recente de β-bloqueadores.

As estratégias de prevenção incluem a manutenção de medicamentos como, β-bloqueadores (se já faz uso regular), antiplaquetários/anticoagulantes e estatinas. Controle da glicemia capilar (140-180 mg/dL) e manutenção da pressão arterial média intraoperatória > 65 mmHg.

Perda visual pós-operatória

A perda visual pós-operatória (PVPO) é uma complicação potencialmente incapacitante, demonstrada através da neuropatia óptica isquêmica (NOI), cegueira cortical/acidente vascular cerebral e oclusão da artéria retiniana central. Suas principais causas são: embólicas, hipoperfusão cerebral e aumento da pressão intraocular (PIO). Embora a incidência geral seja relativamente baixa, procedimentos cirúrgicos específicos apresentam perfis de maior risco para PVPO, como a cirurgia cardíaca e a cirurgia de coluna via posterior.

As estratégias de prevenção incluem a manutenção da perfusão cerebral adequada, assim como cuidados com o posicionamento do paciente em posição prona, por exemplo utilizando-se de um leve Trendelemburg reverso. Em caso de PVPO, o tratamento rápido da hipotensão, anemia grave ou fenômeno embólico reversível pode permitir uma recuperação completa.

Referências bibliográficas:

  • Vandiver, Matthew S.; Vacas, Susana Interventions to improve perioperative neurologic outcomes, Current Opinion in Anaesthesiology. 2020 October;33(5):661-667. doi: 10.1097/ACO.0000000000000905.
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.