Página Principal > Saúde Pública > Retrospectiva PEBMED 2018: veja os 5 casos clínicos mais lidos

Retrospectiva PEBMED 2018: veja os 5 casos clínicos mais lidos

Tempo de leitura: 2 minutos.

No dia a dia nos consultórios, hospitais ou centros de atendimento, é comum atendermos pacientes com manifestações clínicas que desafiam a lógica ou despertam curiosidade, seja pela excepcionalidade do caso ou gravidade dos sintomas. Ao longo deste ano, publicamos aqui no Portal PEBMED diversos casos clínicos com histórias singulares e que valem a pena o registro.

Confira a seguir o top 5 dos casos clínicos mais lidos de 2018:

5. Caso clínico: paciente com neoplasia hematológica vai a óbito; qual diagnóstico?

Neste caso específico, a doutora Dayanna Quintanilha atendeu uma paciente de 45 anos que apresentou dor facial e gengival, com restrição à abertura mandibular. O exame detectou a presença de linfonodomegalias e o quadro da paciente evoluiu para insuficiência respiratória aguda, necessitando de intubação. No dia seguinte ela veio a óbito. Após análise, o diagnóstico apontou para Linfo-histiocitose hemofagocítica.

4. Caso clínico: paciente tem nódulo no pescoço e febre; qual diagnóstico?

Desta vez a doutora Dayanna Quintanilha, uma de nossas colunistas do Portal PEBMED, atendeu um homem de 45 anos com um nódulo no pescoço. O exame identificou quatro linfonodos com cerca de 1 cm na região cervical. O paciente relatou sudorese notura, emagrecimento, febre e tosse crônica. O diagnóstico encontrado foi tuberculose ganglionar, geralmente relacionada ao organismo imunossuprimido.

3. Caso clínico: o que está causando espasticidade neste jovem?

A neurologista Nathália Barros presenciou algo incomum em uma UPA onde estava de plantão, um rapaz de 15 anos deu entrada na unidade com dor na região occipital e na nuca, associada a contrações musculares frequentes. Foi constatada uma espasticidade generalizada, o que praticamente inviabilizava o manuseio do paciente por causa da dor e dos constantes espasmos. Descobriu-se que o paciente havia se cortado com um pedaço de vidro e, como nunca havia tomada vacina, a conclusão foi a de que o paciente sofria de tétano acidental.

2. Caso clínico: abordagem ao paciente com hipotireoidismo subclínico

No segundo lugar dos casos clínicos mais lidos de 2018 está o de uma mulher hipertensa de 71 anos que chegou consultório com queixas de fadiga e apresentava quadro de depressão leve. O exame físico não mostrou alteração e o resultado laboratorial apontou para um TSH levemente elevado com um nível T4 livre normal. A conclusão aponta para hipotireoidismo subclínico, caracterizado com uma forma mais branda do hipotireoidismo, às vezes assintomática mas cuja presença pode ser detectada via exames clínicos.

1. Caso clínico: quadro de astenia, febre, calafrios e perda ponderal

No topo do pódio dos casos clínicos mais lidos deste ano, está o de uma mulher de apenas 20 anos que apresentava astenia, febre diária, calafrios há seis meses, e perda de peso. O quadro evoluiu para tosse frequente, dor pleurítica e hemoptise esporádica. O artigo indagou qual seria o próximo passo que o médico deveria tomar para contornar o problema, entre as opções estavam “Escarros para cultura e exame direto e uma RM de tórax para avaliar a lesão pulmonar. Novo PPD não é necessário” e “

Confira outros artigos da nossa Retrospectiva PEBMED 2018:

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.