Atividade neurobiológica associada ao estresse e síndrome de Takotsubo

A síndrome de Takotsubo, caracterizada por disfunção ventricular esquerda aguda, geralmente reversível e desencadeada por estresse.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

A síndrome de Takotsubo (ST), caracterizada por disfunção ventricular esquerda aguda, geralmente reversível e desencadeada por estresse físico ou emocional, ainda não tem seu mecanismo completamente compreendido e uma das hipóteses leva em conta o envolvimento de estruturas do sistema límbico, que contém a amigdala. Quando essas estruturas têm sua atividade aumentada por situações de estresse, desencadeiam a resposta do sistema nervoso simpático, aumentam a atividade leucopoiética e contribuem para a patogênese de algumas doenças crônicas, como a aterosclerose.

Alguns estudos com ressonância magnética mostraram que pacientes que tiveram ST têm alteração da conectividade neural nas regiões do sistema límbico, porém todos os pacientes tiveram essa alteração documentada após a ocorrência da doença, não sendo possível definir se já estavam presentes antes da sua ocorrência.

Leia também: Casos de cardiomiopatia de Takotsubo crescem por conta da pandemia

A atividade neurobiológica relacionada ao estresse em regiões específicas pode ser avaliada pela tomografia por emissão de pósitron com 18F-Fluordeoxiglicose (18F-FDG-PET/CT), sendo que a atividade na região da amigdala pode ser quantificada pela razão entre a atividade metabólica na amígdala dividida pela atividade de regiões reguladoras do cérebro (AmygA). Esta razão está aumentada em situações de estresse de forma estável por até 6 meses.

Recentemente foi publicado um estudo que avaliou imagens de 18F-FDG-PET/CT em uma coorte retrospectiva de pacientes que realizaram este exame antes de apresentar a ST.

Atividade neurobiológica associada ao estresse e Takotsubo

Características do estudo e população envolvida

Foi um estudo caso-controle retrospectivo feito a partir da análise de um registro americano com mais de 4,5 milhões de pacientes. Foram identificados os pacientes com diagnóstico de ST e que realizaram o 18F-FDG-PET/CT entre 2005 e 2019. Após a avaliação dos casos, foram incluídos na análise 41 pacientes com ST e 63 pacientes controle.

Resultados

A idade média dos pacientes foi de 67,5 anos, 72% eram do sexo feminino e 83% tinham neoplasia. Os dois grupos tinham as mesmas características, exceto pela incidência de doenças autoimunes, que era maior no grupo com síndrome de Takotsubo. O intervalo de tempo entre a realização da imagem e a ocorrência da ST foi de 0,9 anos e, no grupo controle, o intervalo entre a realização da imagem e a última avaliação ou óbito foi de 2,9 anos.

Saiba mais: A síndrome de takotsubo poderia ser uma paraneoplasia

Maior AmygA ocorreu no sexo feminino, diabéticos, pessoas com doença renal crônica e nos pacientes que tiveram ST (p = 0,038). Em análises de regressão logística, maior AmygA foi relacionado a maior chance de desenvolver ST (OR (IC 95%) 1,64 (1,03 – 2,61), p 0,036). Ainda, quanto maior esta relação menor o tempo para a ocorrência da doença, sendo de aproximadamente 2 anos antes para os que tinham a relação mais alta em relação aos que a tinham mais baixa.

Conclusão

Estudos prospectivos com pacientes com ST são muito difíceis de serem realizados devido a baixa incidência da doença. Este estudo, apesar de ter grande prevalência de pacientes com neoplasia, é muito interessante pois é o primeiro que documenta a atividade neurobiológica relacionada ao estresse antes da ocorrência da síndrome, sendo que quanto maior esta atividade mais precoce a ocorrência da ST. Esses achados ajudam a entender um pouco mais a fisiopatologia da doença e mostram possibilidades novas de diagnóstico que podem ser interessantes num futuro próximo, como o uso desse tipo de exame para avaliação de risco para ST ou o estudo de medicações que atuem nesta região como possível alvo terapêutico para esses pacientes.

Referências bibliográficas:

  • Radfar A, et al. Stress-associated neurobiological activity associates with the risk for and timing of subsequent Takotsubo syndrome. European Heart Journal. 2021;ehab029. doi: 10.1093/eurheartj/ehab029
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão