Wanessa de Oliveira Souza

Graduação em Medicina pela Faculdade Atenas de Paracatu – MG ⦁ Residência em Clínica Médica pela Rede Mater Dei de Saúde, Belo Horizonte – MG ⦁ Médica Plantonista do Instituto de Angiologia Goiano, Goiânia – GO ⦁ Médica plantonista e hospitalista do Hospital Unimed Regional Sul Goiás de Itumbiara – GO ⦁ Atendimento ambulatorial em clínica médica e cuidados paliativos em Itumbiara - GO.

A comunicação no ambiente hospitalar e sua problemática

Comunicar, do latim, communicare, “tornar comum”, pressupõe compreensão e entendimento. Contrapõe-se a informar, instruir, avisar e cientificar.

Hipodermóclise: quando o acesso subcutâneo é válido?

O acesso SC, chamado de hipodermóclise, não costuma ser ensinado na faculdade e, mesmo datando do século 19, ainda pode ser novidade para muitos.

O médico e a morte: como comunicar notícias difíceis

Este artigo visa discorrer sobre os desafios da comunicação de notícias difíceis na relação médico paciente, por meio de uma revisão bibliográfica.

O sofrimento humano e sua natureza holística

O objeto de estudo do Cuidado Paliativo é o sofrimento humano.Se os problemas dos doentes são tão complexos, como o paliativista organiza sua forma de ação?

O respeito à autonomia do paciente como instrumento de trabalho

A relação médico-paciente mudou. Os profissionais de saúde são os especialistas técnicos, mas o paciente também tem voz ativa nesse processo.

Empatia, compaixão e o profissional de saúde

A prática médica requer empatia, pois é a partir do contato afetivo que o profissional de saúde consegue entender e atuar sobre as queixas do paciente. Saiba mais:

Conheça os principais mitos sobre Cuidados Paliativos

A maioria das pessoas acredita que Cuidados Paliativos servem apenas para o atendimento no final da vida. Neste artigo iremos abordar esse e outros mitos.

Entrar | Cadastrar