Home / Colunistas / EAP 2021: relato de caso de um bebê com cisto valecular

EAP 2021: relato de caso de um bebê com cisto valecular

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O cisto valecular é um cisto laríngeo unilocular raro que pode causar obstrução das vias aéreas superiores. No European Academy of Pediatrics Congress (EAP 2021), Amal Al-Naimi, Manasik Hassan e Ahmed Alhammadi relataram um caso ocorrido em Doha, Qatar, de um lactente de três meses com quadro de estridor e déficit de crescimento causados por um cisto valecular.

bebê em uti após tirar cisto valecular

Relato de caso

O paciente, um bebê do sexo masculino, foi atendido no ambulatório de neurologia para avaliação de hipotonia. Ao exame, encontrava-se com importante de déficit de crescimento, história de engasgos repetidos com a alimentação e apresentava estridor inspiratório associado a cianose, sendo imediatamente internado para avaliação e realização de exames complementares.

Uma equipe multidisciplinar, composta por especialistas em pediatria geral, neurologia, pneumologia, otorrinolaringologia, nutrição e fonoaudiologia avaliou o paciente.

Uma broncoscopia flexível foi realizada, mostrando um cisto valecular, com laringe e traqueia normais. Esse cisto foi removido imediatamente pela otorrinolaringologia. A avaliação histopatológica do cisto mostrou tecido conjuntivo coberto por epitélio escamoso não queratinizado com congestão vascular e inflamação crônica, compatível com o diagnóstico de cisto valecular.

O paciente recebeu alta hospitalar em bom estado geral. Compareceu à consulta ambulatorial de rotina, com boa evolução, sem estridor residual, defeito de deglutição ou hipotonia.

Cisto valecular

O cisto valecular é um raro cisto laríngeo unilocular congênito que surge abaixo da mucosa da valécula. Ele contém líquido claro e é composto por epitélio respiratório. A maioria dos casos relatados é de bebês nascidos a termo que apresentaram estridor, dificuldade respiratória, problemas de alimentação e deficiência de crescimento durante as primeiras semanas de vida.

O tratamento definitivo consiste em laringobroncoscopia direta com remoção cirúrgica imediata. Os autores destacaram que o diagnóstico tardio do presente caso ocorreu devido ao baixo índice de suspeita. Dessa forma, ressaltam que crianças que apresentam estridor desde o nascimento precisam de revisão imediata em um centro pediátrico especializado para possível avaliação direta das vias aéreas.

Veja mais do congresso:

Autora:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar