Home / Cardiologia / ESC 2019: dupla antiagregação plaquetária pode não ser benéfica na MINOCA
esc 2019

ESC 2019: dupla antiagregação plaquetária pode não ser benéfica na MINOCA

Cardiologia, Colunistas, ESC 2019
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: < 1 minutos.

Por definição, MINOCA (Myocardial Infarction and Nonobstrutive Coronary Arteries) se refere a uma doença da microcirculação coronariana, mesmo sem obstrução física propriamente dita, que culmina em infarto. Em geral, são pacientes com dor precordial, troponina positiva e com curva de isquemia, mas coronariografia sem obstrução epicárdica significativa.

Até então, as diretrizes recomendam que todos os pacientes com síndrome coronariana aguda (SCA) recebam dupla antiagregação plaquetária (DAPT) por 1 ano após o evento inicial, incluindo os casos de MINOCA. Todavia, um estudo publicado no congresso da European Society of Cardiology (ESC) 2019 questiona essa prática.

Fique por dentro dos principais estudos e diretrizes apresentados; baixe grátis nosso e-book ESC 2019!

Dupla antiagregação plaquetária e MINOCA

Trata-se de uma análise post hoc do CURRENT-OASIS-7, que estudou dose de ataque com 600mg de clopidogrel na SCA. Neste estudo, o clopidogrel em ataque mostrou redução no desfecho combinado de morte, AVC ou IAM. Os pacientes com MINOCA representaram 6,7% do total, e tiveram excelente prognóstico, com desfecho primário < 1% dos casos. Contudo, de modo surpreendente, os pacientes com DAPT tiveram maior risco, com um odds ratio de 3,57! E esse risco não foi por mais sangramento.

Como se trata de uma análise secundária, há grande risco de viés. A mensagem prática é: precisamos estudar DAPT na MINOCA em separados das demais causas de SCA. Se você tiver um paciente com esse perfil e com risco alto de sangramento, pense duas vezes antes de associar dois antiagregantes com dose de ataque.

Mais do ESC 2019:

Autor:

Referência:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.