Página Principal > Cardiologia > TOP 10: os artigos de janeiro que você não pode deixar de ler
artigos medicos

TOP 10: os artigos de janeiro que você não pode deixar de ler

Tempo de leitura: 3 minutos.

No começo do ano diversos estudos e atualizações de diretrizes foram publicadas. Para quem não teve tempo de acompanhar tudo, a PEBMED preparou uma lista com os 10 artigos médicos mais acessados, comentados e compartilhados do mês de janeiro. Confira abaixo!

1. Diabetes: como é o manejo do controle glicêmico em cirurgias eletivas?

O JAMA lançou em janeiro uma abordagem fácil e objetiva do manejo glicêmico perioperatório em pacientes diabéticos que são submetidos a cirurgias eletivas. Neste artigo, listamos as dicas clínicas do que é fundamental acompanhar antes, durante e depois do procedimento programado do seu paciente. Clique aqui e saiba tudo!

2. Whitebook: saiba o que é, como diagnosticar e tratar a hemoptise

Em nossa publicação de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, separamos os critérios sobre diagnóstico e apresentação clínica da hemoptise. Veja tudo aqui.

3. DPOC: suplementação de vitamina D pode reduzir exacerbações?

A vitamina D já foi relacionada à redução do risco cardiovascular e câncer, prevenção do comprometimento cognitivo, entre outros. Um novo artigo, publicado no British Medical Journal (BMJ) em janeiro, indica que a vitamina D pode ajudar também a reduzir as exacerbações da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Saiba tudo sobre o estudo aqui!

4. Hepatite autoimune: dose da predniso(lo)na faz diferença no tratamento?

A hepatite autoimune (HAI) é uma doença crônica de etiologia desconhecida caracterizada pelo ataque das células T ao fígado, o que ocasiona em um processo necroinflamatório progressivo. A HAI acomete geralmente as mulheres, em uma proporção de três a quatro para cada paciente homem. A terapia-ouro para o controle deste tipo de hepatite é por meio da administração de predniso(lo)na seguida pela adição de azatioprina, duas semanas após a administração do primeiro fármaco.

Entretanto, ainda não há consenso entre as diferentes diretrizes sobre a dosagem ideal da predniso(lo)na; dependendo do guideline, a dose pode variar de 30 a 60 mg diárias. A fim de definir qual é a quantidade que oferece mais benefícios aos pacientes acometidos com hepatite autoimune, pesquisadores europeus realizaram um estudo retrospectivo de coorte com dados de nove centros médicos espalhados em cinco países da Europa para chegaram a uma definição conclusiva. Descubra aqui!

5. Controle intensivo da pressão arterial pode reduzir risco de demência?

Alzheimer e outras demências são um dos principais desafios globais de saúde, com aproximadamente 50 milhões de pessoas vivendo atualmente com esta condição. O controle intensivo da pressão arterial (PA) pode reduzir o risco de demência? Foi o que investigou um grupo de pesquisadores americanos. Os resultados do estudo foram publicados em janeiro no Journal of the American Medical Association (JAMA). Veja tudo nesse link!

6. Valsartana e losartana sofrem recall por conterem substâncias carcinogênicas

Após a hidroclorotiazida (HCTZ) ser colocado sob alerta, pois seu uso prolongado pode aumentar o risco no desenvolvimento do câncer de pele, outros medicamentos anti-hipertensivos estão sob suspeita de conter sustâncias carcinogênicas. A Food and Drugs Administration (FDA) emitiu um comunicado no começo de janeiro que alerta pacientes e centros médicos acerca de fármacos com altos níveis de N-Nitrosodietilamina (NDEA), componente químico classificado como nitrosamina e comumente presente na fumaça do cigarro. Clique aqui e fique por dentro!

7. Conheça 11 mitos sobre a furosemida

A furosemida é o diurético mais famoso em terapia intensiva, tanto pelos efeitos positivos quanto pelo receio dos efeitos colaterais. O fármaco age no segmento ascendente da alça de Henle, ao bloquear seletivamente o cotransportador de Na+K+2Cl-. Sua ação diurética resulta da inibição da reabsorção de cloreto de sódio neste segmento da alça, resultando em uma urina hipotônica. Existe, entre os médicos, uma preocupação importante quando falamos em furosemida, a sua associação com piora da função renal. Podemos usar furosemida com segurança nos doentes críticos? A Intensive Care Medicine começou o ano com um editorial abordando os mitos a respeito da furosemida. Veja tudo aqui!

8. Vitamina D diminui risco de câncer e doença cardiovascular?

A importância da vitamina D para a saúde óssea já é bem estabelecida, e a correção da deficiência deste componente nos distúrbios osteometabólicos encontra grande respaldo científico. Por outro lado, ainda faltam evidências quando se fala nos efeitos extraesqueléticos da suplementação de vitamina D. Fique por dentro das novidades!

9. ADA 2019: o que mudou no diagnóstico de diabetes?

Publicamos em nosso portal um resumo com todas as mudanças no diagnóstico e manejo de diabetes, segundo as novas diretrizes da American Diabetes Association (ADA). Neste artigo falaremos sobre as alterações em classificação e diagnóstico de diabetes. O que precisamos levar para a prática clínica? Clique aqui e descubra!

10. Você sabe o que é peritonite bacteriana espontânea?

A peritonite bacteriana espontânea é a infecção do líquido ascítico sem evidência de foco intra-abdominal, sendo uma das principais infecções observadas em paciente com cirrose hepática e ascite, com prevalência estimada em 3 a 10% e mortalidade de cerca de 20% quando diagnosticada e tratada precocemente. Saiba tudo aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.