Página Principal > Cardiologia > TOP 10: os artigos de fevereiro que você não pode deixar de ler
artigos medicos

TOP 10: os artigos de fevereiro que você não pode deixar de ler

Tempo de leitura: 3 minutos.

Em fevereiro o Portal da PEBMED publicou diversos estudos e diretrizes recentes, além do tradicional especial de Carnaval. Para quem perdeu alguma notícia ou quer relembrar um artigo importante, separamos o TOP 10 artigos do mês que você não pode deixar de ler. Confira abaixo e mantenha-se sempre atualizado!

1. Síndrome dolorosa da bexiga – diagnóstico e tratamento

Síndrome Dolorosa da Bexiga, também conhecida como Cistite Intersticial a Síndrome Dolorosa da Bexiga, é uma doença crônica, cujos principais sintomas são dor de origem vesical e urgência miccional. Afeta homens e mulheres, porem existe um acometimento maior em pacientes do sexo feminino. Veja tudo sobre diagnóstico e tratamento em nosso artigo.

2. Sífilis gástrica: quando suspeitar desse diagnóstico?

A sífilis é considerada uma doença sexualmente transmissível, causada pelo Treponema Pallidum, bactéria gram-negativa do grupo das espiroquetas. O curso da doença é marcado por períodos de atividade, com características clínicas, imunológicas e histopatológicas bem distintas, e períodos de latência; presentes nos estágios precoce ou tardio da doença. Clique aqui e veja quando suspeitar desse diagnóstico.

3. Enfermeiros estão entre profissionais com mais problemas de saúde mental

A síndrome de Burnout atinge em cheio os profissionais de saúde. Assim como os médicos, cuja estimativa é de que 32% sofram de esgotamento, os enfermeiros também estão altamente expostos à doença. O caso da enfermeira Janaína Silva e Souza, de 39 anos, vítima de suicídio em janeiro reacendeu o debate sobre a depressão na enfermagem e o esgotamento emocional e físico. As extensas horas de trabalho, baixa remuneração e estresse no dia a dia fazem com que estes profissionais se sintam esgotados e desmotivados. Clique aqui e entenda.

4. Quais são os medicamentos mais eficazes para tratar a ansiedade?

O Brasil é o país com o maior número de indivíduos que sofrem com o transtorno de ansiedade generalizada (TAG). Segundo dados a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ansiedade atinge 264 milhões de pessoas em todo mundo, entre eles 18 milhões de brasileiros (9,3% da população). O tratamento farmacológico é uma opção eficaz, mas a variedade de drogas pode gerar dúvidas no momento da prescrição. Um novo artigo do Lancet comparou a eficácia dos principais medicamentos disponíveis no mercado. Veja tudo nesse link.

5. Enfermagem é considerada profissão mais ética pela 17ª vez seguida

Anualmente, a organização Gallup divulga sua lista das profissões considerados mais confiáveis e éticas. Pelo 17º ano consecutivo, os enfermeiros foram considerados pelos cidadãos americanos os profissionais os mais íntegros, de acordo com uma pesquisa de opinião divulgada no fim de 2018. Não só os enfermeiros mantiveram o recorde, como a confiança da população em geral cresceu 2% em comparação com a última pesquisa. Saiba mais aqui.

6. Especial de Carnaval: como cuidar de alguém com intoxicação alcoólica no plantão?

Neste artigo abordamos como receber o paciente com intoxicação alcoólica, muito comum em épocas de grandes eventos e festas. Em um homem saudável, o álcool ingerido começa a ser absorvido em 10 min, primariamente no delgado (80-90%). Em 30 a 90 min após a ingestão há o pico de concentração plasmática. Como o metabolismo hepático retira apenas 15-20 mg/dl/h, qualquer ingestão acima desses valores provocará intoxicação. Clique aqui e veja como cuidar desses pacientes.

7. Osteoartrite de joelho: qual melhor tratamento para dor a longo prazo?

Embora a osteoartrite de joelho seja uma doença crônica e progressiva, os agentes farmacológicos são estudados principalmente quanto aos efeitos em curto-prazo, gerando recomendações incertas no manejo da doença a longo prazo. Em 2018, o JAMA publicou uma revisão sistemática e metanálise que reuniu informações de ensaios clínicos randomizados com análise de desfechos (dor, estrutura articular) de medicações para artrite de joelhos a longo prazo (>12 meses). Clique aqui e veja os resultados desse estudo.

8. Caso clínico: qual diagnóstico desta doença [Especial de Carnaval]

Neste caso clínico especial de Carnaval, trouxemos o caso da paciente chamada EBS, 29 anos, feminino, diarista, natural e procedente de Belém, casada. Refere febre baixa vespertina há duas semanas, associada à mialgia astenia e sudorese noturna. Procurou o facultativo por duas vezes, sendo medicada com sintomáticos sem melhora. Evoluiu com nodulações eritematosas não pruriginosas por todo o corpo. Ao exame percebe-se: Múltiplos nódulos eritematosos não pruriginosas medindo entre 0,4 e 1 cm em todo o corpo. Veja o caso aqui.

9. Mulher jovem, sem comorbidades, com quadro de palpitações: o que fazer?

Não é raro nos serviços de pronto atendimento de urgência e emergência nos depararmos com um paciente com taquicardia – sabendo que a frequência cardíaca normal varia entre 60 a 100 bpm -, que pode ser caracterizada como ventricular ou supraventricular, sendo necessária uma rápida distinção entre ambas, devido a diferenças no prognóstico e tratamento. Clique aqui e saiba o que fazer frente a esses casos.

10. Pregabalina é mais eficaz no tratamento da dor neuropática em adultos?

Dor neuropática é definida por uma resposta mal adaptada a algum insulto ao sistema nervoso (em geral periférico), podendo ser espontânea (paroxística ou contínua) ou evocada por estímulos sensíveis (como a alodinia mecânica dinâmica). Existem muitas causas diferentes, mas as mais comuns são a neuropatia diabética, neuralgia pós-herpética, dor no membro fantasma (pós-amputação), pós-cirúrgica, pós-trauma, lesões cerebrovasculares específicas, lesões na medula espinhal, neuralgia trigeminal e neuropatia do HIV. Leia o artigo completo aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.