AHA 2020: Vitamina D e ômega 3 são capazes de prevenir fibrilação atrial?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

O estudo VITAL-Rhythm, apresentado no congresso da American Heart Association (AHA 2020), é um braço do grupo de estudos VITAL, que investiga o uso de ômega 3 e/ou vitamina D na prevenção de desfechos cardiovasculares.

vitamina D e ômega 3 para fibrilação atrial segundo estudo apresentado no AHA 2020

Fibrilação atrial

O racional era: será que tomar ômega 3 (460mg de EPA, 380mg de DHA) e/ou vitamina D 2.000 UI por dia reduz o risco dos pacientes com fibrilação atrial (FA)?

Para isso, foram incluídos quase 1054 pacientes, randomizados de forma fatorial (ômega 3 placebo, vitamina D ou placebo), triplo cego, com um seguimento médio de cinco anos.

Foram excluídos pacientes jovens ou com histórico de doenças cardiovasculares, FA ou câncer. Como assim? Eu explico. O estudo só incluiu homens maiores de 50 anos e mulheres maiores de 55 anos.

Todos os pacientes recebiam os medicamentos ou placebo e preenchiam questionários anuais com necessidade de comprovação de FA por documentação médica ou por ECG.

Vamos aos resultados

  1. Em um seguimento médio de 5,3 anos, a incidência de FA foi 3,6% no total. Não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos Ômega 3 e placebo (HR 1.09 (0.96-1.24), p=0,19). A mesma coisa para vitamina 3 e placebo (HR 1.09 (0.96-1.24) p=0.19).
  2. Não há como definir se a FA detectada nos exames foi clinicamente significante, em relação a sintomas ou prognóstico.

Em suma

Apesar de resultados em outros cenários se mostrarem promissores, notamos que tomar esses suplementos falhou em demonstrar benefício na prevenção de FA nessa população. A hipótese foi refutada, mas outros estudos devem nos trazer mais evidências em um futuro breve.

Acompanhe as novidades do AHA 2020 com a gente! Veja mais:

Autor:

Referência bibliográfica:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar