Página Principal > Saúde Pública > Choosing Wisely: veja dicas para manejo de pacientes ambulatoriais
Choosing Wisely

Choosing Wisely: veja dicas para manejo de pacientes ambulatoriais

Tempo de leitura: 2 minutos.

A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) atualizou suas recomendações Choosing Wisely, com sugestões que foram votadas pelos seus associados, para o manejo de pacientes ambulatoriais. A entidade divulgou o TOP 5, mas traremos a listagem na íntegra, pois há dicas muito úteis e práticas para uma escolha prudente de exames e medicamentos.

Abaixo segue a lista das recomendações mais votadas (em ordem decrescente):

  1. Não fazer de rotina PSA ou toque retal para rastrear câncer de próstata
    Veja quando solicitar o PSA
  2. Não prescrever inibidor de bomba de prótons continuamente
    Por que não manter o inibidor de bomba de prótons? 
  3. Não solicitar exame de vitamina D em adultos de baixo risco
    Saiba quando solicitar vitamina D.
  4. Não solicitar exame de sangue anual de rotina exceto se indicado pelo risco individual
  5. Não prescrever antibióticos para infecções respiratórias superiores que tem alta probabilidade de ser viral
  6. Não solicitar mamografia de rotina para mulheres de baixo risco entre 40 e 49 anos
  7. Evitar uso de benzodiazepinico em pacientes com história de abuso de substância (incluindo alcool) ou uso de múltiplas medicações psicoativas
  8. Não fazer exame físico anual em adultos assintomáticos sem fatores de risco significativos
  9. Não fazer ultrassom ou testes funcionais da tireoide de rotina em pacientes assintomáticos
  10. Não fazer densitometria óssea em pacientes de baixo risco
  11. Não fazer eletrocardiograma anual ou outros rastreamentos cardíacos em pacientes de baixo risco
  12. Não rastrear paciente de baixo risco cardiovascular (risco absoluto <10% em 5 anos) com eletrocardiograma, teste ergométrico ou outro teste de estresse, escore de cálcio coronariano ou ultrassom de carótida
  13. Não agendar trabalho de parto ou cesárea eletiva em gestantes antes de 39 semanas de gestação sem indicação médica clara
  14. Não sugerir auto-monitoramento de glicemia capilar para diabético tipo 2 em uso apenas de medicação oral
  15. Não prescrever antibióticos para sinusite leve ou moderada exceto se os sintomas estiverem presentes por 7 ou mais dias
  16. Não solicitar teste ergométrico de esforço de rotina ou para pacientes sem fatores de risco que fazem atividade física recreativa
  17. Não fazer exame de imagem para lombalgia antes de 6 semanas exceto se houver sinais de alarme
  18. Não fazer uretrocistografia miccional rotineiramente após a primeira infecção de trato urinário em crianças entre 2 e 24 meses
  19. Não rastrear estenose de carótida em adultos assintomáticos
  20. Não rastrear câncer de colo em mulheres com mais de 65 que já tiveram outros rastreamentos normais e não tem risco elevado de câncer de colo de útero
  21. Não rastrear escoliose em adolescentes
  22. Não fazer papanicolau em mulheres que fizeram histerectomia por algum motivo que não seja câncer ou com frequência maior que a cada 2 ou 3 anos
  23. Não iniciar tratamento para hipertensão ou dislipidemia antes de avaliar o risco cardiovascular global
  24. Não exigir exame físico para prescrição de anticoncepcional oral

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Dayanna de Oliveira Quintanilha

Médica no Hospital Naval Marcílio Dias ⦁ Residência em Clínica Médica na UFF ⦁ Graduação em Medicina pela UFF ⦁ Contato: dayquintan@hotmail.com

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.