Insuficiência Cardíaca na emergência: quando internar e dar alta? [ABRAMEDE 2018]

A palestra “IC: quando internar e quando dar alta direto do departamento de emergência” abordou diversos aspectos sobre a doença.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

As causas de insuficiência cardíaca (IC) no Brasil e nos Estados Unidos são diferentes. Aqui, há uma incidência maior de Chagas e doenças isquêmicas, e também maior mortalidade. A palestra “IC: quando internar e quando dar alta direto do departamento de emergência”, com participação de Glauber Gean de Vasconcelos, abordou diversos aspectos sobre a doença.

Vasopressina

Risco de morte súbita na IC

Os pacientes com maior risco de morte súbita são justamente os que estão no domicílio, mesmo sendo classe funcional II. É também um paciente caro para o sistema de saúde, devido às reinternações constantes e prolongadas. Ou seja, um doente de alta morbidade, alta mortalidade e alto custo.

Qual é o perfil de atendimento de emergência da IC?

– 80% dos pacientes atendidos na emergência são internados
– 90-95% apresentam congestão à admissão, sendo que 60-70% destes são crônico agudizados, 50% poderiam ter alta em 24 horas e até 80% poderiam receber alta em 72 horas caso tenha sido feita a terapêutica adequada;
– 60% são de baixo risco prognóstico, e que podem ser liberados após otimização em até 24 horas;
– 40% têm disfunção orgânica associada à admissão;
– Apenas 4% se apresentam em choque cardiogênico.

Estratégia de atendimento da IC otimizado

A evolução da IC é dramática: 20% dos pacientes que internam e recebem alta retornam à emergência em 20 dias. O que fazer para reduzir a internação?

1. Estabelecer metas de controle da IC
2. Identificar a etiologia
3. Identificar fatores desencadeantes: infecção? Má aderência terapêutica?
4. Pesquisar comorbidades
5. Caracterizar o perfil hemodinâmico
6. Estratificar os pacientes e identificar os de alto risco
7. Fazer terapêutica precoce

A IC exige um envolvimento de todo o time da emergência, por isso, deve-se adotar um “time de resposta rápida”, a partir de um protocolo sistematizado com tratamento intensivo e metas terapêuticas claras. A adoção de time de IC na emergência comprovadamente reduz o tempo de internação e melhora os desfechos do doente.

Critérios para hospitalização imediata:

  • Edema visível: ascite, edema de membros inferiores (refletem o grau de congestão do paciente);
  • Adesão terapêutica;
  • Hipoxemia;
  • PAS < 75 mmHg;
  • Alteração mental atribuída a hipoperfusão.

Objetivos de tratamento:

  • Estabilização dos pacientes: oxigenação, tratamento da congestão, equilíbrio da hemodinâmica, disfunção de órgãos;
  • Estabilização da doença: prevenir a re-internação;
  • Prevenir progressão;
  • Antagonismo neuro-hormonal.

Tratamento estabelecido da IC

O tratamento da IC consiste em:

1) Dieta hipossódica;
2) Diuréticos em doses plenas (PAS < 110 não contraindica diurético, o médico deve avaliar o perfil);
3) IECA / BRA / inibidor da neprilisina;
4) Betabloqueador para todos (exceto intolerantes): suspender apenas no choque cardiogênico, reiniciando após resolução com metade da dose;
5) Poupador de potássio.

*Obs.: Sempre preferir medicação venosa. O paciente com IC descompensada tem edema de alça e não absorve bem medicação oral.

– Exames usuais: ECG, laboratório (função renal, eletrólitos, hemograma, BNP ou pró-BNP, ecocardiograma e radiografia de tórax).

Orientações de alta: o paciente deve procurar o médico assistente com 1 semana após a alta e realizar os exames laboratoriais.

Take-home message:

A abordagem da IC deve ser sistematizada com adoção de protocolos no serviço de emergência. Pacientes com risco baixo e intermediário podem ser tratados e receberem alta da emergência em até 72 horas, desde que atingidas as metas de tratamento intensivo.

MAIS DO CONGRESSO ABRAMEDE 2018

Insuficiência cardíaca:

Medicina Interna:

Lombalgia:

Sepse:

Trauma:

Cetoacidose diabética:

Síndrome coronariana aguda:

Asma grave:

A PEBMED ESTÁ NO ABRAMEDE 2018

Entre os dias 25 e 28 de setembro, a Associação Brasileira de Medicina de Emergência (ABRAMEDE) promove em Fortaleza (CE) a 6ª edição do maior Congresso de Medicina de Emergência Adulto e Pediátrico da América Latina. O evento conta com workshops, cursos e palestras com os maiores especialistas da área. A PEBMED está em Fortaleza e vamos publicar aqui no Portal com exclusividade as principais novidades do evento.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades