Página Principal > CBMI 2018 > CBMI 2018: o que é Plasma Lyte, quais suas indicações e aplicações?
CBMI 2018

CBMI 2018: o que é Plasma Lyte, quais suas indicações e aplicações?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Muito se tem falado sobre Plasma Lyte, mas o que é essa solução afinal, quais suas indicações e aplicações? Essas questões foram apresentadas durante o Congresso Brasileiro de Medicina Intensiva (CBMI 2018). Entenda a seguir a grande novidade das soluções cristaloides.

É uma solução de eletrólitos pH 7,4. Considerada fisiologicamente balanceada, é composta por cloreto de sódio, gluconato de sódio, acetato de sódio trihidratado, cloreto de potássio e cloreto de magnésio. Com esta composição, torna-se opção par hidratação volêmica e reposição de eletrólitos. Compare essa solução com as demais já conhecidas:

Plasma Lyte

NaCl 0,9%

Ringer Lactato

Ringer

Plasma

Osmolaridade

294

308

⬇︎ 278

309

285-295

Ca2+

0

0

3

4,5

2,2 – 2,6

Mg2+

3

0

0

0

1,5 – 3,0

K+

5,0

0

4

4

3,5 – 4,5

Na+

140

154

⬇︎ 130

147,5

135-145

Cl-

98

154

109

156

95-105

Lactato

0

0

28

0

HCO3

22-32

Acetato

27

0

0

0

Gluconato

23

0

0

0

pH

7,4

5.0

5,5 – 6

5,0 – 7,5

7.35 – 7.45

A solução cristaloide está associada a menores taxas de mortalidade cirúrgica e sepse. Diminui significativamente o risco de acidose hiperclorêmica, distúrbios eletrolíticos e o risco de lesão renal aguda, não aumentando o risco de lactatemia em pacientes submetidos à ressecção hepática ou em estados de choque.

Leia mais: Pancreatite: Ringer Lactato é superior ao soro fisiológico na hidratação

Pode ser utilizada com medicamentos incompatíveis com cálcio e propicia rápida restauração e manutenção do equilíbrio ácido-base com menor risco de hipomagnesemia.

Há contra-indicações relativas:

  • Insuficiência cardíaca congestiva;
  • Insuficiência renal grave;
  • Estados clínicos em que há edema com retenção de sódio;
  • Hipercalemia ou em uso de drogas poupadores de potássio como iECA, imunossupressores;
  • Alcalose metabólica ou respiratória;
  • Insuficiência hepática grave;
  • Hipervolemia;
  • Em uso de corticosteroides;
  • Gestantes (categoria de risco C).

Alguns materiais trazem o tratamento da alcalose hipoclorêmica e hipocalêmica, acidose metabólica grave e hipomagnesemia, além da hipersensibilidade como contra indicações do uso desta solução.

E quais as reações adversas descritas?

  • Febre;
  • Infecção no local da injeção;
  • TVP;
  • Flebite;
  • Hipersensibilidade.

Diante de tais efeitos, deve-se suspender a infusão, avaliar o paciente e instituir as contramedidas terapêuticas necessárias.

Confira mais publicações sobre a CBMI 2018:

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Caroline Mafra de Carvalho Marques

Residente de Cirurgia Geral do Hospital Naval Marcílio Dias ⦁ Graduada em Medicina pela Universidade Federal Fluminense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.