Página Principal > Nutrologia > Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral: o fertilizante das terapias e intervenções
alimentação via enteral

Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral: o fertilizante das terapias e intervenções

A nossa série de artigos sobre Residência e as especialidades médicas traz hoje tudo o que você precisa saber sobre Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral, de acordo com o Dr. Haroldo Falcão.

1) O que é?

As especialidades médicas podem ser classificadas pela perspectiva que tomam de cada tipo de paciente. Ao tomá-lo pelas diferentes fases da vida temos as especialidades da Pediatria, da Medicina Interna, da Geriatria; quando o toma pelos acometimentos de órgãos ou sistemas temos a Reumatologia, a Cardiologia, a Pneumologia; e demais especialidades “órgão-centradas”; quando o toma segundo a gravidade da doença desdobramos em Terapia Intensiva (doença grave), nas especialidades ambulatoriais ou nas atividades de prevenção da doença. Quando a Medicina toma um paciente pela ação de um agente externo temos a Infectologia (quando esse agente é biológico), a Traumatologia (quando é um trauma); e se esse agente externo é o nutriente – qualitativa ou quantitativamente considerado – temos a Nutrologia. Quando a intervenção a partir dos nutrientes é feita através de técnicas “armadas” ou de alta complexidade, estamos diante de uma sub-especialização que é a Nutrição Parenteral e Enteral.

2) Como é o dia a dia?

A atividade assistencial do nutrólogo pode ser dividida grosseiramente em dois tipos: ambulatorial e  hospitalar. O aspecto ambulatorial volta-se para os casos de obesidade, medicina e nutrologia esportiva, atendimento aos egressos de internações hospitalares, aos idosos e/ou pacientes sarcopênicos e o acompanhamento nutrológico de pacientes oncológicos. O acompanhamento hospitalar desenvolve-se nas alas, enfermarias e unidades fechadas dos hospitais, sobretudo sob a vertente da Terapia Nutricional Parenteral e Enteral. É importante mencionar o campo em expansão que é o atendimento domiciliar de pacientes dependentes de nutrição enteral ou parenteral.

3) Oportunidades de trabalho?

A gama de oportunidades é grande, pois a Nutrologia é uma grande especialidade e uma excelente “segunda especialidade”, que pode articular-se muito bem a diversas outras áreas, complementando-as. Minha opinião é que somos ainda incipientes da visão empreendedora que podemos desenvolver para além da assistência direta à beira do leito, isto é, como a Medicina se articula com outras áreas de conhecimento e outros serviços. No caso da Nutrologia, os campos de atividades possíveis são enormes e envolvem a assistência nutrológica na forma de consultoria para operadoras de saúde, organizações de terceiro setor, mídias sociais, etc.

4) Número de especialistas:

No momento, temos cerca de 1.535 nutrologistas registrados pela Associação Brasileira de Nutrologia.

5) Curiosidades:

  1. A maioria das Faculdades de Medicina não tem uma carga horária suficiente para fornecer uma formação mínima na área de Nutrologia. A maioria dos médicos atualmente se forma sem saber quantas calorias correspondem a cada grama de macronutrientes.

  2. Não há conflito entre Nutrólogo e Nutricionista: bons nutrólogos dependem do nutricionista, pois este profissional tem a formação adequada para dar a expressão prática (na forma de alimentos) da estratégia traçada na forma de nutrientes pelo médico. A nutrição parenteral é, indisputavelmente, ato privativo do médico.

  3. A Terapia Nutricional Parenteral e Enteral é uma atividade NECESSÁRIA, posto que é prevista por lei em hospitais de alta complexidade e um CRITÉRIO DE QUALIDADE em hospitais sérios e que buscam a certificação. Para cada dólar investido em nutrição, economiza-se em torno de 4 dólares.

  4. A importância da mudança de hábitos e a abordagem das doenças em sua fase pré-clínica é uma tendência irrevogável. Isso faz com que a Nutrologia seja uma das especialidades de maior impacto na saúde pública.

  5. Parafraseando o Nutrólogo Frederico Lobo, pontuo que a Nutrologia não inclui em seu arsenal terapêutico:

  • Prática Ortomolecular ou Biomolecular

  • Modulação hormonal
  • Uso de hormônios com finalidade estética
  • Ozonioterapia
  • Biorressonância
  • Medicina “quântica”
  • Homeopatia
  • Medicina germânica
  • Medicina biológica
  • Medicina funcional

Só existe UMA nutrologia, que é a nutrologia baseada em evidências científicas.

6) Especialidades correlacionadas:

Absolutamente todas as especialidades podem se relacionar à nutrologia. Nas palavras da Prof. Mette Berger, importante pesquisadora e clínica da  Terapia Nutricional em Pacientes Graves, a “Nutrição é o fertilizante das demais terapias e intervenções”.

7) Área de atuação:

Reconhecida pelo MEC, a Nutrologia tem na Terapia Nutricional Parenteral e Enteral Adulto e Pediátrico sua área de atuação formalmente constituída, com prova inclusive. Entretanto, outras áreas consagradas de atuação do nutrólogo existem como a Obesidade, Nutrologia Esportiva, Nutrologia no Idoso, etc.

8) Mensagem para quem quer seguir essa especialidade:

Para seguir a especialidade, recomendo que o aluno complemente sua formação já durante a Faculdade de Medicina, participando das atividades das ligas acadêmicas em Nutrologia, ainda pouco difundida. Em seguida, que faça uma boa residência ou capacitação – não adianta querer prescrever nutrição parenteral, por exemplo, sem conhecer a dinâmica saúde-doença. Recomendo a leitura dos dois links que vão a seguir, escritos por dois nutrólogos de primeira plana e que aprofundam as opiniões apresentadas aqui: um estudo e uma publicação.

*Os artigos sobre as especialidades médicas foram produzidos em parceria com a Associação Nacional de Médicos Residentes

Veja as outras especialidades que já falamos por aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.